quinta-feira, 7 de abril de 2016

Conheça 10 pedras preciosas mais raras que o Diamante!


Muitos sabem que o diamante é na verdade bem comum quando falamos de pedras preciosas, mas quem entre nós pode realmente dizer uma pedra que seja mais rara do que eles? Nós vamos apresentar para você uma coleção com dez das mais raras pedras preciosas do planeta Terra.





10. Painita


Em 2005 O Livro Guinness de Recordes Mundiais chamou a painita de a mais rara pedra preciosa do mundo. Descoberta em Myanmar pelo mineralogista britânico Arthur C.D. Pain por volta de 1950; por décadas só eram conhecidos dois cristais desse mineral hexagonal na Terra; em 2005 ainda existiam menos de 25 espécimes conhecidos.



Hoje em dia a painita não é mais tão rara quanto costumava ser. De acordo com a divisão de ciências geológicas e planetárias da Caltech (Instituto de Tecnologia da Califórnia), a identificação de um novo depósito de painita no Myanmar, “a recente descoberta da real fonte das pedras originais” e “a descoberta subsequente de duas grandes localizações na área de Mogok” levaram a recuperação de milhares de cristais e fragmentos de painita, mas mesmo assim ela ainda figura entre os minerais mais raros da Terra.[Crédito da Foto: Rob Lavinsky | CC BY-SA 3.0]




9. Alexandrita


A alexandrita possui grande renome por suas estranhas propriedades opticas – ela posso sofrer mudanças drástica em sua cor dependendo do tipo de luz na qual ela está. Para ser mais claro: essa mudança de cor independe do seu ponto de vista; uma pedra preciosa que muda de cor quando você gira ela em sua mão é dita como sendo Pleocróica, e apesar da alexandrita ser bastante pleocróica, ela pode tambem mudar de cor independente do seu ponto de vista sob uma luz artificial. (Sob a luz natural do Sol, a gema parece verde azulada, sob uma suave luz incandescente no entando a gema parece vermelho arroxeada.)

Sendo uma variedade de Crisoberilo, a alexandrita pertence a mesma fámilia de gemas como a esmeralda. Sua propriedades de mudança de cor (e sua escassez se comparada ao diamante) se deve a combinação extremamente rara de minerais que inclui titânio, ferro e cromo. [Crédito da Foto: Davud Weinberg | CC BY-SA 3.0]





8. Tanzanita



A frase de efeito que você sempre vai ouvir sendo dita aos 4 ventos sobre a tanzanita é de que ela é 1000 vezes mais rara que o diamante, o que pode até ser verdade se considerarmos que ela é encontrada quase que exclusivamente nas colinas aos pés do Monte Kilimanjaro, e em pouca quantidade. Assim como a alexandrita, a tanzanita apresenta drásticas mudanças de cor que dependem tanto da posição do cristal quanto das condições de luz. Nessa figura você consegue ver, da esquerda para a direita, como a tanzanita muda de cor quando vista na luz polarizada verticalmente, na luz não polarizada e na luz polarizada horizontalmente. De acordo com a divisão de geologia da Caltech, essas variações de cor são em grande parte devido a presenção de ions de vanádio. [Figura via Caltech]



7. Benitoíte


Essas pedras impressionantes pedras azuis apenas foram encontradas, como seu nome sugere, próximo das nascentes do Rio San Benito no Condado de San Benito, Califórnia (algumas outras fontes dizem que elas também foram descobertas em pequenas quantidades no Japão e no Arkansas, mas esses espécimes não possuem “qualidade de pedra preciosa), fazendo dela a pedra oficial do estado.

Uma das características mais diferentes da benitoíte é o quão impressionante ela fica sob luz UV, onde ela fluoresce em uma brilhante cor azul. O que é estranho é que, apesar de ter sido descrita pela primeira vez na virada do século XX, e nós conhecermos a sua composição química por décadas, a origem da sua cor e suas propriedades fluorescentes ainda não são bem compreendidos. [Crédito da Foto: Parent Géry]




6. Poudretteite



Os primeiros vestígios de Poudretteite foram descobertos em meados da década de 1960 na pedreira Poudrette no Mont Saint Hilaire, Quebec, mas ela não foi reconhecida como uma nova espécie de mineral até 1987, e não foi totalmente descrita até recentemente em 2003. De acordo com algumas fontes, é provavel que poucas pessoas vão encontrar um espécime de Poudretteite pessoalmente, e muitas não vão nem mesmo ouvir falar dela. [Crédito da Foto: Scott Davies, cortesia do The Gemology Project | CC BY-NC-SA 2.5].




5.Grandidierite


Esse mineral verde azulado é encontrado quase que exclusivamente em Madagascar, apesar de (e presumidamente somente) um espécime de facetas claras ter sido encontrado no Sri Lanka. Assim como a alexandrita e a tanzanita, a grandidierite é Pleocróica e pode transmitir luz azul, verde e branca. [Crédito da Foto: Don Guennie | CC BY-SA 3.0]




4. Diamante Vermelho



Técnicamente falando, diamantes vermelhos são diamantes, mas eles servem para ressaltar o fato que diamantes na verdade aparecem em uma variedade de cores. Elas são, em ordem de raridade: Amarelo, Marrom, Incolor, Azul, Verde, Preto, Rosa, Laranja, Roxo e Vermelho. Em outras palavras os diamantes “claros” que você pode fácilmente encontrar na joalheria mais próxima não são nem os diamentes mais raros.

Como ponto de referência, o maior diamante vermelho encontrado na Terra – O Moussaieff Vermelho, cuja foto você ve acima – pesa apenas 5.11 quilates (aproximadamente 1 grama). Os maiores diamantes comuns chegam a pesar mais de 500 quilates. [Crédito da Foto: The Gemological Institute of America]]


3. Musgravite



Esse mineral foi descoberto em 1967 na Serra de Musgrave no Sul da Australia, mas tambem apareceu em pequenas quantidades na Groelandia, Madagascar e na Antartica. O primeiro especime que foi grande e puro o suficiente para ser lapidado (assim como o da foto) só foi aparecer em 1993 e até 2005 acredita-se que existam apenas 8 espécimes assim. [Crédito da Foto: De Agostini/Getty Images]



2. Jeremejevite



Descoberta na Sibéria no final do século 19, cristais com qualidade de gema da Jeremejevite (leia-se minerais grandes e puros o suficiente para serem lapidados) foram tambem encontrados em pequenas quantidade na Namibia.

Na foto está uma jeremejevite rara cuja formação cristalina é a maior já encontrada na Terra. [Crédito da Foto: Fred Kruijen | CC BY-SA 3.0]




1. Berilo Vermelho



O Berilo Vermelho (tambem conhecido como “esmeralda vermelha” ou “esmeralda escarlate”) foi descrito em 1904, e apesar de possuir um certo parentesco, em nivel quimico, com a esmeralda e a aguamarinha, ele é consideravelmente mais raro que ambas. (A cor vermelha do mineral é devido a presença de ions Mn3+.)

O mineral é encontrado em algumas regiões de Utah e do Novo México, e tem se provado excepcionalmente dificil de ser minerado de forma economicamente viável. Por isso, algumas estimativas dizem que rubis de qualidade similar (sendo os rubis tambem gemas bem raras), são aproximadamente 8000 vezes mais abundantes do que qualquer especie de berilo vermelho. Consequentemente o preço do berilo vermelho chega a alcançar a marca de 10 mil dolares por quilate da pedra lapidada. [Crédito da Foto: Rob Lavinsky | CC BY-SA 3.0]

Fonte: io9
Tradução livre por Diego


4 comentários

  1. Oiii =]

    eu respondi a uma Tag sobre mim no meu blog e indiquei seu blog para fazer a mesma tag =] dá uma olhadinha lá =D

    http://dhyngetal.blogspot.com.br/2016/05/tag-sobre-dhy-ngetal.html

    ResponderExcluir
  2. Eu não acredito no poder das pedras, mas acho elas tão lindas, tão lindas, mas tão lindas, que se eu pudesse teria uma coleção gigantesca com todas elas!
    Gosto muito muito mesmo!
    Minha preferida é a pedra estrela! Fico fascinada olhando pra ela!

    Memórias de uma Guerreira

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar de nenhuma dessas pedras e estou fascinada. Quanta pedra maravilhosa! Quero todas! rs
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir